Assistência de um cuidador de gestantes pode ajudar a superar dificuldades na amamentação

Conheças os benefícios do aleitamento materno para a mãe e o bebê e também entenda como o cuidador de gestantes pode te ajudar durante esse processo

Amamentar é um ato muito importante que garante uma série de benefícios para a mãe e para o bebê. Mas, especialmente no começo. é normal que algumas dúvidas e dificuldades possam surgir. Para evitar qualquer problema, uma boa solução pode ser se preparar para a amamentação ainda durante a gravidez, com o suporte especializado de um cuidador de gestantes.

Algumas questões importantes como a posição correta do bebê, a dieta mais adequada e tratamentos para o caso de fissuras e sangramentos nos seios podem ser esclarecidos por um cuidador de gestantes.

Por que amamentar

Existem diversas vantagens físicas e emocionais decorrentes da amamentação que beneficiam tanto a mãe e quanto o bebê. Uma das mais importantes é o estreitamento dos laços entre a mãe e o bebê. Mas, além disso, existem muitos outros benefícios para a saúde da mãe, para o bebê e até mesmo para o meio ambiente.

Vantagens para a mãe

Segundo estudo da revista American Journal of Obstetrics, o aleitamento materno reduz o risco de síndromes metabólicas, como doenças do coração e diabetes após a gravidez, mesmo nos casos em que mãe teve diabetes gestacional.

Durante o período pós-parto, a amamentação ajuda o útero a voltar ao normal e evita a hemorragia após o parto, que pode causar anemia. Além disso, estudos comprovaram que o aleitamento materno reduz as chances da mãe desenvolver câncer de mama em cerca de 4,3% a cada nove meses.

Vantagens para o bebê

O leite materno tem a composição necessária para suprir todas as demandas alimentares e nutricionais da criança. O leite ajuda a desenvolver a arcada dentária e o ato de sugar estimula o desenvolvimento facial dos bebês, ao contribuir de forma positiva com atividades como a mastigação, a respiração e a deglutição.

Durante os primeiros três meses, o recém-nascido ainda tem o sistema digestivo em desenvolvimento, por isso, durante esse período, é comum que o recém-nascido sinta cólicas. O leite materno possui um componente chamado PSTI que, entre outras funções, melhora a digestão e reduz as cólicas do bebê.

A amamentação diminui o risco do surgimento alergias e infecções respiratórias, como a asma e a bronquite.

Vantagens para o meio ambiente

O leite materno é acessível, biodegradável e representa uma excelente fonte de nutrientes renovável. Além de suprir todas as demandas alimentares do bebê, não gera descarte de lixo, não necessita de aquecimento ou nenhum outro tipo de preparo.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os bebês sejam alimentados exclusivamente com aleitamento materno até os seis meses de idade, quando, então, devem contar com leite materno como complemento, enquanto entra na fase da introdução alimentar. Para atingir esse objetivo e desfrutar desses e de outros os aspectos positivos gerados pela amamentação, o suporte especializado de um cuidador de gestantes pode ser essencial.