Como a presença de um cuidador infantil pode ser útil durante a pandemia

Além de entender as vantagens, conheça algumas orientações para evitar a contaminação entre as crianças e o cuidador infantil

Em 2020, a pandemia de covid-19 se fez presente, e com isso, todos nós tivemos que passar por desafios nunca enfrentados antes. De repente, as escolas fecharam por conta do isolamento social, e muitos pais que não tiveram condições de trabalhar em regime de home office (quando as pessoas trabalham em casa), de uma hora para outra se encontraram desamparados em relação ao cuidado de seus filhos.

Além disso, mesmo aqueles que têm condições de trabalhar em casa precisam de tempo e espaço para realizar suas atividades profissionais, enquanto as crianças necessitam de atenção constante, o que não é compatível com o momento do trabalho.

Por isso, novas soluções tiveram que ser criadas. Isso foi necessário especialmente em casos em que os pais e responsáveis não contavam com uma rede de suporte, como a presença de parentes próximos com tempo e disponibilidade para o cuidado.

Com o surgimento da pandemia, muitas famílias que contavam com o cuidado dos avós, por exemplo, tiveram que mudar suas rotinas porque as pessoas mais velhas fazem parte do grupo de risco, e devem se manter em isolamento rigoroso para evitar a contaminação pelo novo vírus.

Para te ajudar a contornar essa situação, a contratação de um cuidador infantil pode representar a solução ideal. Mas é natural que os pais se sintam preocupados pela possibilidade de contaminação, por isso, separamos algumas dicas que vão garantir a segurança dos pais, filhos e do cuidador infantil:

Orientações

Para te ajudar a enfrentar os desafios da pandemia, com a ajuda de um bom cuidador infantil, vamos descrever a seguir os principais cuidados para contratação de um cuidador infantil:

  • Se o cuidador infantil ou qualquer pessoa da família apresentar sintomas como tosse seca, febre, perda de paladar e/ou olfato e dificuldade na respiração ou falta de ar, deve evitar o contato físico para afastar a possibilidade de contaminação;
  • Mantenha álcool em gel a disposição o tempo todo e estimule a higienização das mãos com frequência;
  • Se manter em isolamento social e evitar sair com as crianças para brincar ou para realizar qualquer tipo de atividade externa que não seja estritamente necessária;
  • A alimentação adequada e uma boa quantidade diária de sono podem ser importantes para manter a qualidade da imunidade do cuidador infantil.

Por mais que isso não evite a contaminação, medidas como essa podem fazer a diferença nas condições que o corpo tem para reagir ao vírus;

  • Especialmente para o cuidador infantil que cuida de crianças em fase oral, que geralmente ocorre dos 3 aos 3 anos de idade, é importante estar atento à higienização de brinquedos e itens que a criança costuma levar à boca;
  • O cuidador infantil deve utilizar o cotovelo para abafar a boca em caso de espirro e tosse. É importante que tantos os pais quanto o cuidador infantil reforcem esse hábito junto às crianças, para que elas também se previnam;
  • Somente tocar olhos, bocas e nariz se as mãos estiverem higienizadas. Esse hábito também deve ser reforçado junto aos pequenos;
  • O ambiente de cuidado deve estar limpo e com as janelas abertas, provendo a máxima quantidade de ventilação que seja possível.

Ainda tem dúvidas?

Para garantir a contratação de bons profissionais, que sigam corretamente os protocolos de prevenção, e prestem serviços confiáveis e de qualidade, conheça os serviços da Amor e Cuidado.