Linguagem adequada: como se portar sendo um cuidador de idosos

O cuidador de idosos lida com pessoas de gerações anteriores a dele, portanto, é necessário haver uma determinada postura que se adeque ao ambiente da pessoa de terceira-idade. Boas maneiras para deixar uma boa impressão tanto no idoso quanto em sua família se fazem necessárias, pois isso também mostra o nível de sua qualificação enquanto cuidador.

Vocabulário

Justamente por ser alguém de outra geração, certas expressões dos dias atuais não são de compreensão da pessoa de idade, deve-se evitar gírias e palavreados considerados grosseiros pelos mais velhos. Não é o idoso que deve se adequar à realidade do cuidador, pelo contrário. Saber conversar com os mais velhos tem grande importância na hora de exercer a função, evitar gritos também faz parte desta cartilha, um tom de voz baixo é o mais recomendável. Palavrões estão completamente fora de cogitação.

Aparência

A aparência do cuidador é o seu primeiro cartão de visita, nela ficam expostos os cuidados que você toma consigo, o que já dará uma impressão aos responsáveis pelo idoso sobre o zelo que será empregado durante as suas horas de trabalho. Lembre-se de estar sempre com os cabelos limpos e de banho tomado, evitando situações desconfortáveis diante da família do idoso.

Os acessórios não são totalmente reprováveis, mas deve-se voltar a atenção para o tamanho do que está sendo usado. Não é boa ideia usar acessórios grandes demais ou muito chamativos, deve-se regrar o que será adicionado ao seu visual.

Comportamento durante refeições

Em se tratando de alguém que passará a maior parte do dia com o idoso, o cuidador também fará suas refeições na mesma residência. Qualquer cerceamento de alimentação para com empregados é algo reprovável, mas deve-se tomar cuidado para não acabar no outro extremo da coisa. Comer em excesso, sendo um dos principais responsáveis pelo esvaziamento da despensa da família do idoso nunca é um bom sinal.

Informações sigilosas

O comportamento correto de um cuidador também se estende às informações de contato do idoso. Jamais deve-se fornecer números de telefone e/ou celular pessoal, seja do paciente ou da família. É sempre bom perguntar aos familiares responsáveis sobre quais informações podem ser fornecidas e quais são os números de telefone confiáveis.

Ética profissional

Seguir as regras que são impostas para que o trabalho possa ser exercido, é algo de imprescindível para haver uma boa convivência entre idoso e cuidador.

Três pontos básicos

  • Pontualidade: O primeiro passo para demonstrar sua ética profissional é sempre ser pontual. Quando o assunto é a saúde de uma pessoa idoso que precisa de cuidados, a situação pode mudar de uma hora para outra, procure nunca atrasar no seu compromisso como cuidador.
  • Honestidade: Outra qualidade que é esperada por parte do profissional é ser uma pessoa honesta. Ter um firme compromisso com a verdade, assumir seus erros e seguir os preceitos de ética socialmente aceitos em relação aos idosos são exigências vitais.
  • Educação: Evitar grosserias e aumentar o tom de voz na hora de se comunicar com o idoso.

Essas recomendações valem tanto para quem está começando na área como cuidador, ou para os que já são experientes. Promover uma boa relação entre cuidador, idoso e sua família só tem a engrandecer a sua vida profissional.